quarta-feira, 8 de abril de 2020

Pandemia COVID-19 | Reagir ou falir





Como todos sabem estamos passando por umas piores crises mundiais: "A Pandemia por Corona vírus” . Esta não só afeta a saúde da população mundial como  também  a economia.

E agora? O que fazer? 

A primeira resposta é o que não fazer. Não é hora de sentar, cruzar os braços e esperar a pandemia passar. 

É hora de se reinventar, colocar a cabeça para pensar. Traçar estratégias. Trabalhar mais pra ganhar menos. Mas manter o seu negócio VIVO.  Agora é a hora de você provar pra você mesmo se está preparado para conduzir um negócio próprio. 

É de se admirar quando alguém deixa seu negócio falir e joga a culpa na crise. Pergunto: E porque o outro que trabalha no mesmo ramo continuou vivo?  Mesmo que me responderem que ele tinha uma reserva de capital, se teve. Ele foi capaz de criar a reserva de capital. Ou seja, soube trabalhar bem em seu negócio.

Então alguns processos são necessários e devem ser iniciados imediatamente:

  • Não fazer compras ou entrar em financiamentos e prestações do que não é prioridade. 


  •  Conheça e reveja seu fluxo de caixa

Um erro cometido por muitas pequenas empresas, é não ter uma relação de gastos separada entre as despesas fixas e variáveis. Na primeira categoria entram gastos como aluguel, folha de pagamento e manutenções. Já na segunda estão gastos com itens como insumos, que variam de acordo com as próprias vendas.
“Em um cenário de vendas reduzidas, os gastos variáveis caem proporcionalmente. São os gastos fixos, que independem da venda, que mais vão pesar para os empresários nesse cenário”. A recomendação, portanto, é dividir as despesas nas duas categorias para saber qual será o valor necessário para manter o negócio em caso de perda de receita.

  • Renegocie dívidas antes que elas apareçam

Se com as análises e ações anteriores o empreendedor constatar que não conseguirá pagar todas as contas, a recomendação é dialogar com fornecedores e credores com antecedência. Assim, os dois lados terão mais segurança na hora da negociação.
“Sabendo quanto e quando o dinheiro irá faltar, é possível procurar esses agentes e mostrar que você não terá condições de pagar, mas não quer se tornar inadimplente”

  • Empréstimos podem ajudar, desde que sejam realmente necessários

Com a chegada das fintechs e o aumento da competitividade no setor financeiro, pequenas empresas ganharam mais acesso a linhas de crédito para fins como o capital de giro.

  • Enxergue oportunidades

Embora ‘apagar incêndios’ seja necessário, Iavelberg ressalta que empreendedores não devem limitar sua visão a eles. “Existe sempre o lado das oportunidades”  Um exemplo claro é a tendência de que segmentos como e-commerce e delivery registrem aumento na demanda nesse período. “Cada empreendedor precisa entender seu desenho de negócio, analisando por que está passando por uma crise e que oportunidades pode tirar dela.”


  • Aproveite as ferramentas online

Presta serviços presenciais? Aproveite as ferramentas online de conversa como Skype, Duo e Hangout para agendar reuniões ou dar cursos e consultorias. O período de quarentena pode ser uma boa oportunidade para estudar novos assuntos que vão te acrescentar como profissional. Por exemplo, que tal fazer um curso de marketing digital ou um curso de educação financeira?

  • Liquidação e promoção

Busque fazer promoções de produtos menos vendidos e liquidação de produtos que estão em estoque há muito tempo. Verifique a possibilidade de serviços de entrega e amplie as formas de pagamento para manter os clientes.


  • Antecipe suas vendas através de Vouchers promocionais. 

Para ajudar os pequenos negócios, como lojas de bairro, a conseguir manter o fluxo de caixa, a fintech Cora lançou o site Compre dos Pequenos.  
Funciona assim: a pessoa compra um voucher no valor desejado de um dos estabelecimentos cadastrados no site. Depois que a crise passar, o voucher pode ser usado para comprar algum produto naquele local. Não há taxas para quem compra o voucher nem para o estabelecimento cadastrado,
Acesse através do endereço: https://compredospequenos.cora.com.br/

  • O que fazer com os empregados

 Estabelecer o sistema de home office, dar férias aos funcionários, usar o banco de horas e até demitir. Estas são algumas medidas que as empresas podem adotar em relação a seus empregados. Mas veja bem: As vezes a demissão pode sair mais caro do que pagar o empregado até que a crise passe. Então é prudente fazer os cálculos antes de demitir.


  • Acompanhe de perto as medidas do governo

“Esteja atento a todas as iniciativas do governo e se engaje em movimentos que o pressione, com o objetivo de criar crédito subsidiado, postergação de tributos e fornecimentos públicos (a exemplo de água e energia), entre outras ações que permitam o respiro nos próximos meses.”

  • Manter contato com clientes

Profissionais que vendem serviços, e não produtos, também podem utilizar as redes sociais para manter o contatos com os clientes. Um personal  trainer, por exemplo, pode passar séries de exercícios utilizando apenas o peso do corpo dos alunos.


  • Buscar capacitação

Uma hora a crise vai passar. E quando a situação melhorar, os empresários e empreendedores mais capacitados vão ter condições de sair na frente e se reerguer mais rapidamente. Faça cursos on line por exemplo. Existem vários cursos on line baratos e até mesmo gratuitos na internet. Até mesmo ver vídeos tutoriais no Youtube é uma boa opção.  Não é hora de ser preguiçoso.


  • Acompanhe a concorrência

Pesquise o que seu concorrente está fazendo no período de crise. Vejas suas ideias, faça igual ou melhor.


  • Seja um bom líder

Avalie também seu compromisso social e as necessidades de sua equipe. Serviços que podem ser feitos remotamente devem ser liberados para home office. Não mantenha pessoas aglomeradas em um mesmo ambiente, faça escalas de trabalho ou libere seus funcionários. É muito importante unirmos forças para evitar a propagação do vírus e controlar o número de infectados no país.


Por fim, visite o site do Sebrae. Lá você encontrará várias ideias que podem adequar ao seu negócio.  O importante agora é não ficar parado.  Acesse: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/coronavirus

Mais do que em tempos normais, agora é hora de por a mão na massa. 

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Crédito financeiro descomplicado é com a Majore Money



Majore Money   é uma empresa digital com o objetivo de exercer  atividades no ramo de prestação de serviços e intermediação para captação de recursos financeiros no Sistema Financeiro Nacional, atuando como Correspondente de diversas instituições financeiras e promovendo a recepção e o encaminhamento dos documentos necessários para realização das operações de créditos, assim como o levantamento de informações cadastrais, além de prestar assessoria financeira nas escolhas que mais atendam as necessidades e objetivos de cada cliente. 
 
Todas nossas operações são 100% on line, de forma simples, rápida e totalmente digital seja para pessoas jurídicas como também para pessoas físicas. Dispensando assim processos burocráticos com papelada e visitas dispendiosas. 

Representamos as melhores instituições financeiras/bancos que fomentam empréstimos COM ou SEM garantias, assim como consórcios e refinanciamentos nas melhores condições.

Nossa Plataforma é constituída pelos principais bancos e fintechs do país e toda informação fornecida em nossos cadastros são regidas por rigoroso critério de confidencialidade comercial.

Empréstimos:
CGA - Crédito com garantia de aval
CGI - Crédito com garantia de imóvel

Consórcios:
Imóveis
Veículos

Refinanciamento


Visite o site para mais informações: https://www.majoremoney.com.br/